Desilusão por Rhaysa Kiltts

Nossa! Encontrei mais um poema escrito por mim, e resolvi publicá-lo para vocês. Sim, eu também notei que minha alma andava ou anda um pouco negra. 

Quando escrevi estava realmente me sentindo inspirada pelo momento gótico que vivia, mas hoje esse poema condiz bem com minha realidade... um pouco desiludida com vida, mas nada que me leve a desistir de tentar e sonhar. Nem tudo está perdido e sempre podemos recomeçar tudo do zero não é mesmo?

Esse é mais um dos meus turbulentos momentos escritos e ainda mais virá esta semana para vocês.

♥ Desilusão ♥

Há tanto silencio lá fora
E um grande vazio aqui dentro.
Não consigo manter-me ausente,
Não consigo ser distante...
Naquele velho caderno encardido
Encontram-se as lembranças...
As minhas lembranças.
Tudo agora me parece negro.
As cores do outro lado da fria vidraça permanecem.
Aquela rosa metida entre as paginas velhas parece rir.
Sim, mesmo morta seus murchos espinhos ainda são capazes de rasgar minha carne
E escarnecer da minha dor.
Antes tudo parecia tão estável, tão verdadeiro.
Mas descobri que a dor da partida é ainda mais real.
Aquele aroma de primavera um dia voltará, mas até quanto terei de aguardar?
É dura a dor da espera, é duro sonhar e não ver se tornar real.
É fácil ver o arco-iris, mas será impossível encontrar o pote de ouro.
Depois da tempestade sempre vem a calmaria...
Estarei eu apta a continuar meu trajeto no caminho da vida?
Ou serei mais uma alma a vagar no vazio da desilusão?

Rhaysa Kiltts

Nenhum comentário

Postar um comentário